Pesquisar

sábado, 31 de dezembro de 2016

Ano Novo na Era Digital

Gente!!!

Estamos vivenciando a Era do Conhecimento, uma avalanche de informações em alta velocidade nas telas dos equipamentos eletrônicos. As novidades são uma constante nas mensagens e imagens recebidas. Muitas já descartamos, pois não conseguimos processar todas elas.

Nosso sonho é que haja um arregimento de todas estas informações, transformadas em conhecimento para o Bem-Estar coletivo. E jamais, para prejudicar nossos semelhantes.

E que não nos satisfaçamos com a virtualidade, deixando de nos abraçar, nos tocar, nos falar verbalmente, de olhar olho no olho, quando possível. Que a Era Digital não nos distancie, nem tolha a nossa humanidade de ser humano. Que não nos prive de sermos verdadeiros, escondendo-se em subterfúgios da subjetividade e nos aliene da realidade da vida. Há uma ênfase muito forte na sensibilidade aos animais, creio eu, fato consequente do marketing da indústria de gêneros para animais.

Temos quatro dimensões a considerar: Deus, as pessoas, os animais e as coisas. Deus, o qual as religiões não o sintetiza,  e que está bem além delas, nele está o princípio da verdadeira sabedoria, que Ele nos conceda o discernimento para tratar cada uma no seu devido lugar. Cabe-nos buscar sabedoria do alto, e Ele nos dará liberalmente e não lança em rosto, e ser-lhe-á dada (Tiago 1.5).
  • Willian Shakespeare - Poeta e ator inglês, tido como o maior escritor do idioma inglês e o mais influente dramaturgo do mundo, dizia que:
“O tempo é muito lento para os que esperam
Muito rápido para os que tem medo
Muito longo para os que lamentam
Muito curto para os que festejam
Mas, para os que amam, o tempo é eterno”

O que é o tempo? Tempo é o momento ou ocasião apropriada para que as coisas aconteçam ou façamos acontecer. E há tempo para todo propósito debaixo do sol...

Quatro verdades bíblicas sobre o tempo:

Ec 3.1 – “TUDO tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.” É uma afirmação divina, não comporta mais explicações.

Sl 90.12 – “Ensina-nos a contar os nossos dias (fala de preciosidade e brevidade da vida), de tal maneira que alcancemos corações sábios”. Ou seja, Senhor! Ensina-me a viver a vida temporal que nos deste para vivê-la.

Ef 5.16 – “Remindo o tempo; porquanto os dias são maus”. Fala-nos da administração proveitos e produtiva do tempo, mesmo com o aumento da malignidade e da maldade humana.

Mt 6.34 – “Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal. Viva um dia de cada vez e descanse em Deus.

Como estamos administrando o tempo que Deus nos tem dado debaixo do sol?
- Todos nós possuímos uma rotina de vida: Estudar, trabalhar, família, brincar, lazer, eventos, descanso, etc...

O secundário: Pode ficar para depois. Pode ser postergado.

O emergencial – Situação crítica, o incidente, o inesperado. Requer ações não programadas.

O urgente – Não pode ficar para depois...é iminente.

O importante  - Tudo é importante. Todavia, temos o mais relevante e o menos relevante. Daí, deve existir uma ordem no uso, na utilização do tempo.

As prioridades – A partir delas se estabelecem os focos, metas e os alvos estratégias e onde se quer chegar.

Um maravilhoso e fecundo 2017 a todos amigos do blog do Samuca.

Spmb/Dez 2016


sábado, 3 de dezembro de 2016

Lava Jato ganha principal prêmio anticorrupção

Transparência Internacional elege a operação como a maior iniciativa contra corrupção no mundo, a frente de investigações como os Panama Papers.


GENEBRA – A Força Tarefa da Operação Lava Jato e seus procuradores são escolhidos como a maior iniciativa contra a corrupção no mundo e recebem o prêmio do ano da entidade Transparência Internacional. O anúncio está sendo feito neste sábado (3) em um evento no Panamá, onde a organização destaca os “esforços persistentes da Lava Jato para acabar a corrupção endêmica no Brasil”.

Para a entrega do prêmio, os procuradores brasileiros foram até o Panamá, com seus próprios recursos. 

A entidade havia recebido 560 nomeações de iniciativas de combate à corrupção em todo o mundo, entre eles a investigação conduzida por 185 jornalistas de todo o mundo sobre os Panama Papers ou iniciativas na Turquia. Mas optaram por dar aos brasileiros num momento em que a tensão entre os poderes no Brasil aumenta e, para procuradores, o próprio esforço do grupo estaria ameaçado. 

Fonte: política.estadão.com.br – publicação de 03/12/2016.

Samuel P M Borges


segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Luís da Câmara Cascudo


                                       (30/12/1898-30/07/1986)

Luís da Câmara Cascudo nasceu em Natal, na Rua Senador José Bonifácio, chamada Rua das Virgens, 212, no Bairro da Ribeira, numa Sexta-feira, dia de São Sabino, a 30 de dezembro de 1898, às 17:30 hs. Seus pais eram Francisco Justino de Oliveira Cascudo e Ana Maria da Câmara Cascudo, nascida Pimenta. Cascudo explica a origem familiar do nome: "Cascudo não denomina, realmente, minha família paterna, constituída dos Justino de Oliveira, Gondim, Ferreira de Melo e Marques Leal. Meu avô, Antônio Justino de Oliveira (...) era, nos últimos anos, chamado o velho Cascudo, pela devoção ao Partido Conservador, também com essa alcunha. Dois filhos, Francisco e Manuel, tiveram a ideia de juntar o Cascudo ao nome, vocábulo que jamais meu avô pronunciou. O nome Cascudo, no caso, não é o inseto, o coleóptero, mas vem do peixe de loca, Acari."

Na sua mocidade, teve existência de príncipe, morando numa Chácara no Tirol, denominada Vila Cascudo, centro permanente de reuniões literárias, jantares festivos, recitais de músicos famosos que transitavam pela cidade. Estudou no Atheneu Norte Riograndense, cursou Medicina na Bahia e Rio de Janeiro, fazendo até o quarto ano. Desistiu de ser médico, por falta de vocação, e foi estudar Direito no Recife, onde se formou em 1928.

Apaixonou-se por uma menina de 16 anos, com delicadeza e nome de flor, Dáhlia Freire. Casaram-se em 21 de abril de 1929 e tiveram dois filhos: Fernando Luís e Anna Maria. Iniciou-se como jornalista em outubro de 1918, no jornal "A Imprensa", de propriedade de seu pai. Colaborou em todos os jornais de Natal e em vários do país, mantendo seções diárias inesquecíveis, como "Bric-a-Brac", naquele jornal, e "Acta Diurna", em "A República" e no "Diário de Natal". Esta última foi mantida quase diariamente de 1939 a 1952 e de 1959 a 1960, numa totalidade de 1.848 artigos. Essas seções foram os germens de quase todos os seus livros, fomentando a sua obra de historiador, folclorista, antropólogo, etnógrafo, sociólogo, ensaísta, tradutor-comentador, memorialista e cronista, com renome internacional.

     Cascudo no descanso do lar, em sua casa - Natal RN

Estreou como escritor lançando o seu primeiro trabalho VERSOS REUNIDOS, em 1920, antologia poética de Lourival Açucena, com introdução e notas de sua autoria. No ano seguinte, 1921, publicou o primeiro livro inteiramente seu, ALMA PATRÍCIA, crítica literária em torno dos poetas potiguares desconhecidos do resto do Brasil. Sua consagração como escritor, entretanto, ocorreu a partir de 1938-39 e, sobretudo, ao longo da década de 40.

Escreveu sobre os mais variados assuntos, sendo evidente a sua especialização na etnografia e no folclore e a sua predileção pela história, pela geografia e pela biografia. Entre os seus mais de 200 livros, opúsculos e ensaios destacam-se: Dicionário do Folclore Brasileiro, Literatura Oral no Brasil, Vaqueiros e Cantadores, Canto de Muro, Rede de Dormir, Jangada, História dos Nossos Gestos, História da Alimentação no Brasil, Civilização e Cultura, Geografia do Brasil Holandês, Geografia dos Mitos Brasileiros, Contos Tradicionais do Brasil, Locuções Tradicionais do Brasil, Lendas Brasileiras, Superstições e Costumes, entre outros. O Dicionário do Folclore Brasileiro, que teve a sua primeira edição em 1954, foi a primeira compilação acadêmica de temas ligados ao Folclore, que não tinha, na época, "status" de ciência.


Cédula em homenagem a Luís da Câmara Cascudo - anos de 1990

Realizou várias viagens de estudo e pesquisa pelo Brasil e exterior. Em 1947-1948 foi a Portugal organizar e participar do 1º Congresso Luso-Brasileiro de Folclore, onde foi saudado pela imprensa local como "uma das mais altas expressões mundiais no domínio do folclore e etnografia". Em 1963 viajou à África com um objetivo especial: estudar a alimentação popular, na colheita de elementos para a sua grande obra História da Alimentação no Brasil.

Cascudo "encantou-se", como ele se referia à morte, no dia 30 de julho de 1986, em Natal, cidade de onde nunca quis "arredar o pé", por se considerar um "provinciano incurável". A nós cabe, hoje, a imensa responsabilidade de valorizar e divulgar o inesgotável legado cultural que ele nos deixou.

 Imagem própria: Na 6ª Caminhada Histórica do Natal - 19/11/2016

Sua casa, localizada na Avenida Câmara Cascudo, 377, Cidade Alta, Natal/RN, abriga hoje o Ludovicus – Instituto Câmara Cascudo.


Fonte: Adcon.rn.gov.br – Acervo Secretaria Extraordinária da Cultura, pesquisa em 21/11/2016.

Samuel P M Borges 
11/2016

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Proclamação da República no Brasil

Resumo sobre a Proclamação da República Brasileira, causas, liderança, crise da monarquia, movimento republicano

                          

Introdução

A regime monárquico existiu no Brasil entre os anos de 1822 a 1889. Neste período o país teve dois imperadores: D. Pedro I e D. Pedro II.

Causas

 - Crise e desgaste da Monarquia - o sistema monárquico não correspondia mais aos anseios da população e às necessidades sociais que estava em processo. Um sistema em que houvesse mais liberdades econômicas, mais democracia e menos autoritarismo era desejado por grande parte da população urbana do país.

 - Forte interferência de D. Pedro II nas questões religiosas, que provocou atritos com a Igreja Católica.

 - Censura imposta pelo regime monárquico aos militares. O descontentamento dos militares brasileiros também ocorria em função dos rumores de corrupção existentes na corte.

 - Classe média e profissionais liberais desejavam mais liberdade política, por isso muitos aderiram ao movimento republicano, que defendia o fim da Monarquia e implantação da República.

 - Falta de apoio da elite agrária ao regime monárquico, pois seus integrantes queriam mais poder político.

 - Fortalecimento do movimento republicano, principalmente nas grandes cidades do Sudeste.

A Proclamação

Na capital brasileira (cidade do Rio de Janeiro) em 15 de novembro de 1889, o Marechal Deodoro da Fonseca liderou um golpe militar que derrubou a Monarquia e instaurou a República Federativa e Presidencialista no Brasil.  No mesmo dia foi instaurado o governo provisório em que o Marechal Deodoro da Fonseca assumiu a presidência da República.

Após 67 anos, a monarquia chegava ao fim. No dia 18 de novembro, D.Pedro II e a família imperial partiam rumo à Europa. Tinha início a República Brasileira com o Marechal Deodoro da Fonseca assumindo provisoriamente o posto de presidente do Brasil. A partir de então, o pais seria governado por um presidente escolhido pelo povo através das eleições. Foi um grande avanço rumo a consolidação da democracia no Brasil. (www.suapesquisa.com).

Fonte: www.historiadobrasil.net – Pesquisa em 15/11/2016.


Samuel P M Borges

domingo, 13 de novembro de 2016

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Guilherme Carey(1761-1834)

O Pai das Missões Modernas


           1.    Origem inglesa – avô era professor e o pai sacristão da Igreja Anglicana. Filho de Edmundo  e Elizabeth Carey. Evangelista e missionário Batista inglês.

2.    Nos seus dias a igreja não aceitava a ideia de pregar o evangelho aos pagãos. Certa vez em uma reunião do ministério a que pertencia pediu que ventilassem o assunto de propagar o evangelho aos pagãos, o presidente da reunião pôs-se em pé e gritou com ele dizendo: “Jovem, sente-se! Quando agradar a Deus converter os pagãos, ele fará sem o seu auxílio, nem o meu”

3.   No ano de 1792 pregou o memorável sermão baseado em Is. 54.2,3: ”Amplia o lugar da tua tenda, e as cortinas das tuas habitações se estendam; não o impeças; alonga as tuas cordas, e firma bem as tuas estacas. Porque transbordarás à mão direita e à esquerda; e tua posteridade possuirá as nações e fará que sejam habitadas as cidades assoladas”.  Havia uma ênfase em seu sermão: “ Esperar grandes coisas de Deus e tentar grandes coisas para Deus”.
            RESULTADO: o auditório levantou as vozes em pranto, sentindo-se culpado por  negar o               evangelho aos povos não alcançados.

4.  Então foi criada a primeira sociedade missionária para missões entre os povos não alcançados. A Sociedade Missionária Batista.

5.   A esposa não entendeu a sua chamada para Índia. Foi convencida nas últimas horas da partida, e seguiram em um navio para Índia.

6.   A esposa não tinha interesse nos esforços de seu marido e enlouqueceu. A maior parte dos ingleses com quem Carey teve contato, o tinham como um louco. Esteve muitas vezes sem sustento para a família. Passou a trabalhar de lavrador e empregou-se numa fábrica de anil.

7.  Como era entendido em fauna e flora, fundou a sociedade de agricultura e hortaliças.  Ensinava em escolas para crianças pobres.

8.  No ano de 1775, Carey foi grandemente impactado pelo avivamento liderado pelos também britânicos John Wesley (1703-1791) e George Whitefield (1714-1770).

9.   William Carey viveu num momento muito importante do movimento missionário protestante, que começou com seu ministério de quarenta anos na Índia, e incluía outros nomes, como Henry Martyn, Adoniram Judson, Robert Morrison, David Livingston e Hudson Taylor. Todos conheciam Carey pessoalmente ou foram influenciados por ele.
   
10.  Seu filho Félix aceitou a chamada para pregar o evangelho. Todavia, mais tarde assumiu o cargo de embaixador na Grã Bretanha no Sião. Ele ficou desapontado: E escreveu para um amigo: Félix encolheu-se até tornar-se um embaixador desse mundo.

11. Passou 41 anos na Índia, nunca visitou a Inglaterra. Falava trinta línguas da Índia. E traduziu as Escrituras para todas elas. Escreveu gramáticas e notáveis dicionários indianos. Tornou-se tradutor oficial do governo.Calcula-se que traduziu a Bíblia para a terça parte da  população do mundo de seus dias.

12. Quando Guilherme Carey chegou à Índia, os ingleses negaram-lhe permissão para desembarcar. Ao morrer em 9/06/1834, porém o governo mandou içar as bandeiras a meia haste em honra ao herói que fizera mais em prol da Índia do que todos os generais britânicos.

13.  Em seu leito de morte, William Carey solicitou a Alexandre Duff (1806-1878), missionário escocês na Índia: “Quando eu me for, não diga nada acerca do Dr. Carey. Fale acerca do Salvador de Dr. Carey”. Duff atendeu apenas à segunda parte do pedido, assim como muitos após ele.


            Fonte: Livro Heróis da Fé – Orlando Boyer – 4ª edição 1987.
                       Pesquisas Internet

           Samuel P M Borges
           Abraço!

O que devemos levar ao Senhor?

Texto: Mc 1.29-31; 40-42; Fl 4.6
Introdução: Amados Deus não está longe de cada um de nós, antes chegai-vos a Deus e Ele se chegará a vós...Humilhai-vos perante o Senhor e Ele vos exaltará (Tg 4.8a e 10)...


I – TEMORES – PEDRO LEVOU-OS AO SENHOR.
Mt 14.30 – “Mas, sentindo o vento forte, teve medo; e, começando a ir para o fundo, clamou, dizendo: Senhor, salva-me!”

II – PERGUNTAS  - OS DISCÍPULOS AS  LEVARAM AO SENHOR.
Mt 24.3 – “E, estando assentado no Monte das Oliveiras, chegaram-se a ele os seus discípulos em particular, dizendo: Dizei-nos, quando serão essas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo?”

III – ENFERMIDADES –  A MULHER DO FLUXO DE SANQUE LEVOU-A A JESUS.
Mc 5.27-28 – “Ouvindo falar de Jesus, veio por detrás, entre a multidão, e tocou na sua veste.  Porque dizia: Se tão-somente tocar nas suas vestes, sararei. “

IV – DIFICULDADES – OS DISCÍPULOS AS LEVARAM A JESUS.
Mc 6.35-36 – “E, como o dia fosse já muito adiantado, os seus discípulos se aproximaram dele, e lhe disseram: O lugar é deserto, e o dia está já muito adiantado.  Despede-os, para que vão aos lugares e aldeias circunvizinhas, e comprem pão para si; porque não têm que comer. “

V – NECESSIDADES – OS 10 LEPROSOS AS LEVARAM A JESUS.
Lc 17.13 – “E levantaram a voz, dizendo: Jesus, Mestre, tem misericórdia de nós”

VI – FRACASSOS – OS DISCÍPULOS OS LEVARAM  A JESUS.
Mc 9.28 – “E, quando entrou em casa, os seus discípulos lhe perguntaram à parte: Por que o não pudemos nós expulsar?”

VII – PROBLEMAS –  JAIRO, UM DOS PRINCIPAIS DO SINAGOGA LEVOU-O A JESUS.
Mc 5.23 – “E rogava-lhe muito, dizendo: Minha filha está moribunda; rogo-te que venhas e lhe imponhas as mãos, para que sare, e viva.”

CONCLUSÃO: Qual é a tua petição, que angústias passas, a respeito de que? Pessoal, familiar?... faça-a conhecida  diante daquele que tudo pode, exercita a tua e confiança nele e sejamos vitoriosos. Amém.

Samuel P M Borges
Abraço!

sábado, 29 de outubro de 2016

INVERSÃO DE VALORES


Texto: Is 5.20 - " Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo!"


Crédito de imagem:www.mensagens10.com.br

Introdução: A inversão de valores está muito presente na mídia...trabalha o sensacionalismo, o suspense, a ação, o mistério. Nas novelas é gritante. Aplaudi-se a promiscuidade, a infidelidade conjugal, a desonestidade, a ruptura da família enquanto base da sociedade...Inversão de valores é o mal pelo bem, o errado pelo certo. O foco são futilidades, numa escala de valores irracional, desproporcional...Está presente também na política, na igreja e na família...

Alguém disse: O que se vende tem preço. Mas, há itens, componentes em nossas vidas que não tem preço, tem valor.  Pergunto-lhe: Qual a ordem na escala de valores em tua vida??? Deus, família, trabalho, Igreja...  

I - SOCIEDADE E INVERSÃO DE VALORES

  1. Quando viva, perguntam a Hebe Camargo: O que você faz com 1,2 milhão de reais por mês. Ela disse: “eu me faço feliz”. Correr atrás do ter e não atrás do ser é o grande equívoco da felicidade superficial e circunstancial.   
  2. As bem-aventuranças de Jesus no Sermão do Monte, enfatizam não a posse de bens transitórios, mas a posse de valores eternos. Mt. 5-1-12.
  3. O coreógrafo Carlo Porto, 44 anos, casado, sem filhos. Abriga 33 cachorros que estavam famintos, doentes e abandonados na Grande Belo Horizonte. Tem todo o aparato para assistir esses cachorros. A justificativa: “O dinheiro é meu”.  No século atual ainda morrem 5 milhões de vidas por ano. A cada segundo morre uma criança de fome. 
  4. Os Estados Unidos gastaram em torno de 300 Bilhões de dólares com a guerra no Iraque e Afeganistão. Isto é inversão de valores.  E temos no seio da humanidade: 1/3 nutrida, 1/3 subnutrida e mais 1/3 passa fome.
II - PROPAGANDA VERSUS TESTEMUNHO.

1.“Venham e ouçam, todos vocês que temem a Deus; Vou contar-lhes o que Deus fez por mim” (Sl 66.16).
2. O marketing religioso faz menção direta à tal igreja, tal bispo, tal missionário, ao tal programa. Isto é humanismo na igreja.
3. O abençoado por Deus não consegue se calar, ele extravasa de contentamento, pelo que recebeu de Deus. Isto é testemunho.
4. O testemunho é bíblico e mais: é uma alavanca no crescimento da igreja.
5. Obviamente, o testemunho é uma consequência e não causa.
6. O marketing religioso é danoso à igreja. Pode inchar e enriquecer grupos religiosos.
7.Temos que insistir, combater para que o corpo de Cristo não vire negócio, e os crentes meros consumidores. 
     
III -  A IGREJA E A INVERSÃO DE VALORES.
  1. Avançam as superstições na espiritualidade evangélica.
  2. Caminhamos para não acreditar na suficiência da cruz.  Há amuletos, objetos várias representativos de canais de bênçãos, em intermináveis campanhas de oração. 
  3. O Esvaziamento dos conteúdos da fé, pois a proposta do Reino de Deus estão se resumindo em chavões sem conteúdo. 
  4. Há frases que de tão repetidas, em nosso meio, perderam o seu valor.
  5. Na Medida em que crescemos numericamente, seremos mais cobiçados.
  6. O Colombiano César Castelhanos e outro companheiro seu que vai na mesma ótica. Livros intitulados “Uma igreja com propósito”. Estes, aplicaram teorias da mais moderna administração, contida num invólucro de evangelização de massas.  Resultado: enriquecem às custas da pobreza e ignorância dos fiéis...E quem não fizer como eles estão fazendo com o Evangelho, estão fora da direção de Deus, para estes tempos. 
  7. Tem gente tentando ganhar o mundo inteiro “para Jesus”, e ficando com a alma atrofiada. Você diz: “Estou rico, adquiri riquezas e não preciso de nada. Não reconhece, porém, que é miserável, digno de compaixão, pobre, cego e que está nu” (Ap 3.17). 
  8. O movimento evangélico como um todo, preciso resgatar a centralidade do evangelho. Porque há muitas novidades entre nós, tirando a nossa atenção do calvário. Portanto, vigilância.     
  9. Os megas templos tendem a fazer da igreja massa de manobras, uma vez que a integração vai para o espaço no corpo de Cristo.
Reflexões finais:

a)Se passamos horas a frente da televisão e não temos tempo para orar, meditar na Palavra de Deus, assistir e educar nossos filhos, está havendo uma inversão de valores. 
     b) faças um levantamento de como você gasta o seu tempo. 
     c) A sua vida está tendo sentido em que? Bases sólidas ou frágeis? É consistente sua visão de futuro? Se é que tem! Ou gira em torno de futilidades.
    d) A que você está mais apegado atualmente? Corrija os exageros, as distorções. Reveja sua escala de valores...

Subsídios:

NÃO SOU A CONTRA A CRIAÇÃO DE ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO, CONTUDO, CHAMO À ATENÇÃO PARA OS EXAGEROS.

       1. Hoje temos grife para animais, estofados para animais, desfile de beleza para animais. 
      2. A indústria de rações e outros produtos para consumo animal, nunca faturou tanto, em toda a sua história.
       3. Há mulheres vivendo com cachorros como seu companheiro.
4.Temos falado muito de como o diabo tem destruído famílias, pela separação, desamor, infidelidade conjugal, falta de comunicação, violência no lar...ao tempo que nunca assistimos tantos filmes onde os personagens principais são animais heróis se falando entre si pelos cotovelos. E mais, seus donos, seus inimigos se comunicando com eles.  Verdade é, nós humanos estamos vivendo como animais irracionais e indústria de entretenimento humanizando os animais. Na China, quem matar um urso panda, sofre prisão perpétua...
5. Há filhos sendo criados como animais, e animais como filhos. 76% dos americanos, consideram que os animais de estimação, são membros da família.   
6. Em um país na Ásia, 75% dos pais permitem que os animais de estimação durmam com seus filhos, ou seja, na mesma cama.
7. Vejo esse comportamento social como uma nova modalidade de Panteísmo pós-moderno. E os animais sendo endeusados.

Samuel P M Borges

Abraço!

sábado, 22 de outubro de 2016

O que é Erário Público?

Erário significa tesouro público, é um termo oriundo do latim, aerarium. Erário é o dinheiro que o Governo dispõe para administrar o país, é o conjunto de bens, composto pelos recursos financeiro, tesouro nacional etc.

O erário é controlado pelo Fisco, que é um conjunto de órgãos da administração pública, que tem o objetivo de arrecadas e fiscalizar tributos, portanto é o conjunto de valores pertencentes ao Estado.

Erário público é, na verdade, um pleonasmo, que é uma expressão redundante, que a segunda palavra tem o mesmo sentido que a primeira. Neste caso, se erário já significa o tesouro e bens do Governo, obviamente, o erário será sempre público, não sendo assim necessário o uso da palavra público.

(Como tenho utilizado termo erroneamente, achei por bem divulgar o seu significado, visando evitar o pleonasmo).

Fonte: https://www.significados.com.br – pesquisa em 21/10/2016

Samuel P M Borges

Abraço!

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Paixão ou Amor

Paixão ou Amor? Saiba a Diferença!


 Quando nós namoramos, temos sentimentos de amor para com a outra pessoa, mas precisamos tomar cuidado para não perder a objetividade. Objetividade é a habilidade de, mentalmente, avaliar as coisas como realmente elas são, em vez de ser manipulado pelos sentimentos. Muitos jovens têm tomado decisões precipitadas porque perderam a sua objetividade, casando com a pessoa errada, descobrindo somente depois que não era amor, mas simplesmente paixão romântica. Deus é a única pessoa que pode pensar objetivamente, isto é, Ele faz decisões baseadas no entendimento completo da situação. Por isso, Ele é capaz de nos dirigir nesta área. Cabe a nós esperar nEle para fazermos decisões corretas em nosso namoro. Vamos ver a diferença entre amor e paixão romântica.


PAIXÃO ROMÂNTICA

É um impulso emocional de amor. É baseada em um conhecimento superficial de outra pessoa e não passa pelas provas de tempo e circunstância.
O mundo encara o amor como um sentimento intenso de duas pessoas que se consideram certas uma para a outra. Estes sentimentos se tornam tão fortes que o casal conclui que deve casar. Quando ambos perdem este sentimento, acham que nunca houve amor, tendo então como única solução o divórcio. O mundo confunde paixão romântica com amor.

AMOR

É uma necessidade emocional e um ato da vontade que responde a uma avaliação intelectual da personalidade total de outra pessoa.

      Expressões como: "o amor é cego", "amor à primeira vista" , não têm sentido e discordam da definição bíblica. Vejamos essa definição em I Coríntios 13. 4-7:

O amor é paciente

O amor que é paciente leva tempo para conhecer a outra pessoa e o seu caráter. Se você sente que tem amor por ele (a), o tempo é seu maior amigo.

O amor precisa de tempo

O amor é sempre um processo de crescimento, e crescimento precisa de tempo. Uma palavra de aconselhamento: enquanto você está namorando, envolva-se com várias atividades diferentes que o (a) colocarão e a seu parceiro (a) em situações reais. Isto dará oportunidade de observar as reações dos dois em meio a vários tipos de pressões e circunstâncias.

   A paixão tem pressa em se envolver romanticamente para que os sentimentos de amor possam ser preservados ou para ter a segurança de que a outra pessoa não vai abandoná-la. O perigo da pressa é que a pessoa diz e faz coisas para preservar os sentimentos de amor que, porém, não se conservam por muito tempo.

  A paixão romântica procura mudar a personalidade básica e o estilo de vida de seu parceiro para moldá-la (o) ao tipo de pessoa que ele (a) idealiza.

A paixão romântica não pode mudar estas características negativas da outra pessoa. A mudança do seu parceiro vem através de um amor profundo, muita paciência e submissão à obra do Espírito Santo. O amor verdadeiro aceita a pessoa como é e não como gostaria que fosse. Foi esse o amor de Deus para conosco. Deus demonstrou Seu amor para conosco, tendo paciência e não nos manipulando como objetos. O amor diz ao seu parceiro:

A. Eu aceito você como é agora.
B. Você é bonito (a) (mesmo não sendo).
C. Você está de bom humor (mesmo irritado/a).
D. Você é pontual (mesmo estando atrasado/a).
E. Você é sensível (mesmo quando não é).

O Amor é benigno

A tendência da paixão romântica é esquecer rapidamente os atos de bondade. No início do seu namoro com alguém que você gosta muito, parece muito fácil ser benigno. O amor genuíno será provado através dos anos nas lutas e provações que ambos enfrentarão.

O problema com o relacionamento baseado na paixão romântica é a inconsistência em dar de si mesmo para seu parceiro. O relacionamento baseado na paixão romântica se desfaz facilmente e, ao invés de ser algo agradável, torna-se um peso na vida do casal. O amor é um sentimento maravilhoso porque está disposto a dar, dar e ainda dar. Se você notar que a sua disposição em dar é esporádica, seria sábio verificar se existe mesmo amor.

Um relacionamento de namoro é bem sucedido quando duas pessoas com personalidades diferentes compartilham uma com a outra tudo o que elas são, tudo o que fazem e seus sonhos para o futuro. Enquanto duas pessoas crescem e compartilham entre si, é importante que cada uma desenvolva outros relacionamentos de amizade. Isso vai ajudar no crescimento, enquanto estão separados um do outro.

A paixão romântica é baseada na emoção que não tem passado pela prova de tempo e circunstância. Assim, a pessoa pensa que é importante manter o sentimento de amor; consequentemente, os pontos de irritação ficam encobertos evitando-se assim ter que enfrentá-los. O amor não faz romantismo com as realidades da vida, mas procura ser aberto e enfrentar as dificuldades e resolvê-las com sinceridade.

PERGUNTAS QUE O AJUDARÃO A DISCERNIR SE O SEU RELACIONAMENTO É REALISTA E HONESTO, OU NÃO.

A. Há fraquezas em sua vida que você procura esconder do seu parceiro pois teme que, se descobertas, podem provocar o rompimento do seu relacionamento?
B. Há assuntos controvertidos que vocês evitam pois temem "criar encrencas"?
C. Seu parceiro possui fraquezas na área de atitudes e comportamentos que você gostaria de conversar com ele, mas sente medo?

         Se você respondeu sim a qualquer uma dessas perguntas, então seu relacionamento está necessitando de mais objetividade e honestidade.

O amor verdadeiro procura resolver a exasperação. O amor sabe que todo relacionamento tem que passar por provações e tempos difíceis. O amor sabe que, fugindo das dificuldades, somente piorará a situação. O amor real usará a tribulação para que o relacionamento se torne mais profundo.

Gênesis 2.24 – “Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne.”

Provérbios 3.5-6 - "Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus carninhos e ele endireitará as tuas veredas.”

Fonte: https://www.facebook.com/notes/segredos-de-princesa
(Extraído de uma das Apostilas do Pastor Jaime Kemp)



segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Deus e a Idolatria


Gênesis 12.1-3 - Quando Deus chama Abraão e a partir dele forma o povo de Israel, no decálogo (Êxodo 20.1-5), Deus estabeleceu a maneira, o modelo de culto, de adoração sem utilização de imagens de esculturas. Deus, o Criador, estava erguendo em meio o paganismo a bandeira do monoteísmo – a crença em só Deus Verdadeiro.
Vejamos alguns textos:

a) Êxodo 20.1-6 – “ENTÃO falou Deus todas estas palavras, dizendo: Eu sou o SENHOR teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o SENHOR teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam. E faço misericórdia a milhares dos que me amam e aos que guardam os meus mandamentos.

b) Levítico 26.1 - “Não farás para vós ídolos...”

c) Deuteronômio 7.25-26. - “Destruirás imagens à fogo dos cananeus, pois eram abomináveis a Deus...” Este fato se realizou com a conquista de Israel na terra dos cananeus.

d) Deuteronômio 6.13 a 15. - “Servir outros deuses, provoca a ira de Deus...”.

e) Salmos 106.36-38 - “Israel caiu no pecado de servir aos ídolos, e ao ponto de sacrificar filhos e filhas aos ídolos de Canaã, na verdade, aos demônios.

f) Salmo 115.1 a 8 (tradução Protestante) -“As imagens são obras das mãos dos homens...”. E Salmo 113.1 a 8 (tradução Católica Apostólica Romana”).

g) Isaías 45.20 - Nada sabem os que conduzem suas imagens de escultura em “procissão e rogam a um deus que não pode salvar”...

Como Deus é Espírito, deve ser adorado em espírito e em verdade (João 4.24), não admite nenhuma forma ou tentativa de materialização de fé. É prática pagã e leva ao politeísmo, o culto e crença em vários deuses e mediadores.

Deus não divide a sua glória com ninguém e nem o seu louvor com imagens de esculturas.

Isaías 42.8 – “Eu sou o Senhor; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor às imagens de esculturas”

Deus deixa claro no texto sagrado que o idólatra não entrará no seu reino. Ou seja, está arrolado entre os que ficarão de fora, na eternidade.
         
a) I Coríntios 6.10 - “Os idólatras não herdarão o Reino de Deus”.

b) Atos 15:20 - Aos cristãos primitivos recomendou-se:“...Abstenham-se das contaminações dos ídolos).

c) Efésios 5.5 - “Os idólatras não têm herança com Cristo e com Deus...”

d) I João 5.21- Recomendação amorosa do apóstolo João em: “Filhinhos, guardai-vos dos ídolos...”

e) Ap 22.15 - “Ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira”

Há, basicamente, nas Escrituras, três tipos de adoração: a falsa, a vã e a verdadeira.

Adoração falsa – Mateus 23.27 – “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda a imundícia”

Adoração vã - Mateus 15.9 – “Mas, em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens.

Adoração verdadeira – João 4.23-24 – “Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade”

O centro da discussão, a essência do tema é: A prática idolátrica desvia de Deus a adoração, desvirtua o culto genuíno à Aquele que é digno de toda adoração, louvor e glorificação. E por extensão, um “ídolo” é tudo aquilo que toma o lugar número 1 de Deus em nossas vidas. Este ídolo pode ser o cônjuge, filhos, um vício, a tradição, dinheiro, um esporte, um clube de futebol, um hobby, etc...

Conclusão reflexiva:
a)    Está evidente à luz da Bíblia o quanto é abominável, aborrecível e repudiada por Deus a prática da idolatria. Seja qual for o meio ou forma: ídolos físicos, imagens em vídeos ou digitais, gravuras, turismo religioso sob pretexto de desenvolvimento regional, etc. Não se deixem enganar com as facilidades tecnológicas. Deus não mudou e nem mudará. É imutável.
b)  Nenhum sistema religioso ou tradição religiosa é segurança de salvação:Assim escreveu o apóstolo Pedro:
I Pd 1.18-19 – “Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado”.

        c) A minha oração é que Deus nos conceda graça e entendimento pelas Escrituras, não pela religião de A ou de B. O ponto de partida é crê ou não crê nas Escrituras como a revelação de Deus escrita à humanidade.

Samuel Borges
Abraço!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...