Pesquisar

domingo, 26 de março de 2017

Definições de pecado na Bíblia


Antigo Testamento, no hebraico.


a)   “Chata ou hata” – errar o alvo.
 (Gn 4.7;Lv 16.21;Sl 1.1;51.4;sl 103.10).

b)”Pasha” – Transgredir, invadir, ir além, rebelar-se. O homem forçou,  destruiu e foi além dos limites da justa lei de Deus.
   (Gn 31.36;50.17;êx. 22.8; Pv 10.19;Sl 89.32).

c) “Rasha” – Ser ímpio, solto ou mal ligado, ruidoso ou tumultuoso.
   (Is 57.20,21;Sl18.21; Ez18.27;33.19;Ml 3.15,18)

d) “Ra’a” – Ser mau, quebrar ou danificar por métodos ou meios  violentos.É pecado deliberativo, positivo, malicioso.
  (Mq 2.1-3;Gn 2.9;2.17;8.21;Êx 33.4;Dt 1.35;Pv 1.16;Sl 10.15).

e) “Avah” – Ser peverso, entortar ou torcer a lei de Deus. Andar pelo caminho tortuoso em oposição ao caminho reto de Deus.
  (Gn 15.16;Ex 20.5; Lv 26.40;Jó 20.27; Is 50.1;Jr 2.22)

f) “Ramah” – Enganar, derribar, prender em armadilha. O pecado engana e trata traiçoeiramente.
   (Sl 32.2;34.13;55.11; Jó 13.7; Is 53.9).

g)”Ma’al” – Transgredir, ser culpado de quebrar uma promessa ou não cumprir a palavra; envolve infidelidade e traição.
  (Lv 16.16,21;26.40;Nm 5.6;31.16;Dt 32.51).

h) “Pathah” – seduzir, ser aberto. O coração e a vida abrem-se para coisas externas e más.
   (Dt 11.16; Jó 31.27;Sl 76.36;Pv 1.10;16.29).

i) “Kasal” – Ser insensato, carnudo, tolo.
   (Pv 13.16;23.9;26.5,6;Ec 5.3;10.12; Pv 18.6;13.20).

j) “Tame e “Ba’ash” – ser Impuro e cheirar mal e daí ser ofensivo e mau.
   (I s 6.5; Nm 5.13-29;Jr 2.23; Sl 106.39; Êx 7.18; I Sm 13.4; Pv 13.5).

l) “Amal” – Trabalhar, ser miserável, está em miséria. A ideia é onde há pecado, o labutar é penoso.
   (Dt 26.7; Pv 16.26;Ex 2.11;Jr 20.18;Jó 3.20;14.1).

Novo Testamento, no grego.


a)   “Adikia” – Injustiça, maldade, incorreção, praticar más obras.
(II Co 12.13;Hb 8.12; Rm 1.18;9.14).

b) “Harmatia” – É o termo mais usado no NT para pecado. Significa transgredir, praticar más obras, pecar contra Deus.
    (Hb 1.3;3.13;Mc 2.5;Jo 9.41;Rm 5.12).

c) “Anomia” – Ilegalidade, insubordinação, desenfreamento.
    (Rm 6.19;Lc 15.26).

d) “Apistia”- Infidelidade, falta de fé ou resistência à fé com obstinação  
     (Rm 3.3;Hb 3.12; I Tm 1.13).

e) “Asebia” – Impiedade ou de falta de reverência (II Tm 2.16).

f) “Aselgeia” – Licenciosidade, relaxamento, sensualidade (Judas Vv.4).

g) “Epithmía” – Desejo, e somente o contexto pode indicar se o desejo é bom ou mau.
       (Lc 22.15; Tg 1.14).
h) “Ejthra” – Sentimentos ou ações hostis, ou seja, inimizade.
       (Tg 4.4;Ef 2.14-16;Rm 8.7).

i) “Kakia” – Pervesidade ou depravação oposta à virtude; descreve o caráter e a disposição e não somente a ato exterior do pecar.
      (I Pd 2.16; Mt 6.34).

j) “Parábasis” – Transgressão, passar os limites, violar a lei consciente ou vonluntariamente (Rm 4.15;5.14;Hb 2.2; I Tm 2.14).

l) “Poneria” – Perversidade, maldade, baixeza, malícia, mesmo sentido de “Kakia” (I Co 5.8).

Fonte: Livro – O Homem em Três Tempos – Tácito da Gama Leite Filho.
1ª edição 1983.


Samuel Borges
Março/2017

domingo, 12 de março de 2017

Infidelidade Conjugal Indireta

Subsídios à lição EBD/CPAD, de 12/03/2017, Vivendo de forma moderada. ADBrasil

Ensino provocante – produz interesse.  E no mundo em que:

O vício da pornografia aumenta em 300% a infidelidade.

De acordo com academia americana de advogados 68% de todos os divórcios envolveu um amante na INTERNET.

Pesquisas de 2002 afirmam que 30% dos pastores viram pornografia nos últimos 30 anos.

20% das mulheres sofrem com o vício da pornografia.

I.   TEMPERANÇA, O DOMÍNIO sobre INCLINAÇÕES CARNAIS
No grego, a palavra temperança é enkráteia, que significa autocontrole, disciplina (2Pe 1.6; Tt 1.8).

  1.  É também utilizada por Paulo para tratar a respeito da pureza sexual (1Co 7.9).
“A palavra grega enkrateia significa ‘temperança’ ou ‘domínio próprio’ até sobre paixões sensuais.
  2.    Em 1 Coríntios 9.25, ele é empregado para destacar a disciplina de um atleta.
  3.   Paulo desejava que os crentes entendessem que é o Espírito Santo que nos ajuda a ser disciplinados e comedidos. Com a ajuda de Deus, Paulo tinha suas vontades e desejos em sujeição (1Co 9.27).
  4.  A temperança na vida de Cristo. Jesus se fez homem e habitou entre nós (Jo 1.14), mas Ele não pecou e jamais experimentou as obras da carne. Jesus era cheio do Espírito Santo (Lc 4.18), razão pela qual pôde vencer as tentações da carne, do mundo e do Diabo (Hb 4.15).
  5.   Vivendo de modo sóbrio. Temperança significa ter controle sobre seus desejos e atitudes. E quem possui temperança tem boas possibilidades de ter qualidade de vida. 

Glutonaria:
       Truphe, ‘luxo, suntuosidade, afetação, diversão, festança, folia’, é encontrada em 2 Pe 2.13 (‘deleites’ literalmente, ‘contando se divertir no dia do prazer’). Em Lucas 7.25, é usada com a preposição em, ‘em’, e traduzido por ‘em delícias’.
       Komos, ‘divertimento, folia, pândega, orgia’, a concomitância e consequência da bebedeira, é traduzido no plural em Romanos 13.13; Gl 5.21 e 1Pe 4.3 (‘glutonarias’).
       Gaster (glutão) denota ‘barriga, ventre’. É usado em Tito 1.12, com o adjetivo argos, ‘ocioso, preguiçoso’, metaforicamente, para significar glutão; em outro lugar, ocorre em Lucas 1.31.
 (Dicionário Vine: O significado exegético e expositivo das palavras do Antigo e do Novo Testamento. 1ª Edição. RJ: CPAD, 2009, p.676).

Qual a recomendação de Salomão para o glutão?
       “E põe uma faca à tua garganta, se és homem glutão” (Pv 23.2).

Tem gente que não come para viver; Vivem para comer...e tem sido considerado um pecado quase generalizada da Igreja Cristã Ocidental.

Na área sexual, seria interessante discutimos primeiro as infidelidades indiretas (cobiça, lascívia, abrasamento...), como prevenção e tratarmos patologicamente as diretas, como adultério, fornicação e prostituição, pecados sexuais já consumados. 

Vejam alguns pecados sexuais e seus conceitos:


Infidelidade Conjugal Indireta


1. É a infidelidade que ainda não se consumou em adultério, fornicação ou na prostituição. Ou seja, começam a ocorrer sem ruptura dos laços matrimoniais.

2. É praticada em pensamentos, palavras, gestos, “atenção”, olhares e posturas, quando não vigiamos.

3. Há quem passe a praticá-la quando, mesmo casado, entra pelo caminho da cobiça e da lascívia, em desrespeito ao cônjuge. Por exemplo: olhando pornografia.

4. O cônjuge carente, por desatenção emocional e sentimental, tanto pode sofrer, como praticar a infidelidade indireta.

5. O pecado de lascívia (sensualidade desregrada), em palavras, gestos e pelas vestes que se usa, pode caracterizar a infidelidade indireta.

6. Um matrimônio em crise, fragilizado é uma porta aberta para a infidelidade indireta, que por conseguinte, poderá levar à infidelidade direta.


Fuja! Corra da prostituição! Não há seguros nesta área.
(Fonte: Estudo Bíblico - Fugir é para os fortes - Reinaldo Percinoto Júnior)

A advertência de Paulo é para fugirmos da imoralidade sexual (I Co 6.18). De maneira prática, como podemos empreender esta “fuga”? (cf. Mt 5.27-30)
       Frente à imoralidade sexual, é necessário construirmos uma nova mentalidade sobre o nosso corpo. Paulo nos fornece aqui três “alicerces” da nova vida cristã:
1. Nosso corpo passa a ser habitação do Espírito Santo (v. 19);
2. Já não pertencemos a nós mesmos (v. 19);
3. E um alto preço foi pago pelo nosso resgate (v. 20).
De que maneira esse triplo fundamento pode nos ajudar na construção desta nova mentalidade, de modo que possamos “glorificar a Deus em nosso corpo”? (v. 20b)



Samuel P M Borges

ADCandel – março/2017
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...