Pesquisar

quinta-feira, 28 de março de 2013

RESSURREIÇÃO EM GERAL


A crença da ressurreição no Antigo Testamento e do próprio Cristo.

Jó 19.25-27
Daniel 12.2 – Duas ressurreições, dois destinos.
Davi. Sobre a morte e ressurreição de Jesus. Sl 16.10; At 2.34;13.34-37
Jesus. Mt 16.21; Lc 24.44-47.

Conceitos de Ressurreição:

a) Ressurreição -  no grego, é “anástasis” e “égersis”, ou seja: levantar, erguer, surgir, sair de um local ou de uma situação para outra. 

b) Ressurreição no latim -  é o ato de ressurgir, voltar à vida, reanimar-se.

c) Teologicamente - é mesmo que ressurgir dos mortos, ou a união da alma e do espírito ao corpo, após a morte física.

d) Ressurreição no sentido de restauração à vida natural/terrena, o indivíduo tornar a morrer. Jo 11.1-46(Lázaro, a filha de Jairo, Dorcas).

e) Ressurreição propriamente expressa, o indivíduo não morre mais.(Mt 28.1-10 - de Jesus, Lc 20.36). Será quando o corruptível se revestirá da incorruptibilidade e o mortal se revestirá da imortalidade. É quando a morte é tragada  pela  vitória.( I Co 15.54).

A ressurreição de Jesus

Objeções mais comuns dos céticos sobre a Ressurreição de Jesus.

1. A ressurreição de Jesus Cristo é um mito, e não uma história.
2. As histórias da ressurreição estão cheias de contradições.
3. Milagres não são possíveis.
4. O corpo foi roubado.
5. Jesus só desmaiou e depois se recuperou de suas feridas.
6. As testemunhas estavam apenas "vendo coisas".

Debelando as objeções:

1. A comparação de relatos literários demonstra que um mito demanda um certo número de gerações para se desenvolver. E não há registros em qualquer tipo de literatura de um mito se desenvolvendo na presença de tantas testemunhas oculares e em um tempo tão curto quanto o tempo que o Novo Testamento gastou para ser escrito.
2. A pregação dos apóstolos estava sempre centralizada na ressurreição.
3. As pesquisas históricas apóiam uma crença imediata na ressurreição de Jesus Cristo. Um credo apostólico dos primórdios da igreja incluía a ressurreição (I CO 15.1-9).
4. Os judeus eram os piores candidatos para a invenção de um Cristo mítico. Nenhuma outra cultura era tão oposta à confusão mítica entre divindade e humanidade como eles. Na verdade, a voz da história e das Escrituras os denomina: “Os guardiões dos oráculos divinos”, o provo da revelação de Deus a humanidade.
5. Centenas de testemunhas viram Jesus Cristo vivo depois de sua morte. Ele também apareceu para mais de 500 pessoas de uma só vez . I Co 15.6
6. Muitas dessas testemunhas oculares foram ferrenhas inimigas do ministério público de Jesus Cristo(Mt 12.22-24). Estas pessoas tinham os motivos e meios de corrigir quaisquer falsidades que os discípulos porventura tentassem introduzir. Ainda assim, nenhum correção tentada produziu algum resultado concreto. Mt 28.11-15


A relevância da  Ressurreição de Jesus para o Cristianismo:

1.Atesta que Ele é o Filho de Deus e não um mártir. Jo 10.17,18; Rm 1.4

2.Proclama o dia em que a morte morreu. Ou seja, sua morte é redentora.   Rm 6.4,9,23; I Co 15.17,20

3.Ratifica as verdades essenciais do evangelho, nas Escrituras. Sl 16.10; Lc 24.44-47; Atos 2.31,32,36.

4.  Assegura o juízo sobre os ímpios. At 17.30,31

5. Garante a herança celestial aos salvos em Cristo. I Pd 1.3-4

6. A ressurreição de Jesus é a garantia da ressurreição cristã.I Ts 4.14

ATENÇÃO: A Ressurreição é do corpo (I Co 15.35). A alma e o espírito não morrem. Se partiram ou partem sem Cristo, ficarão separadas de Deus. É a "morte eterna".

1. O Corpo é parte essencial da totalidade da personalidade humana. É a  identidade pessoal visível. Somos um espírito, temos uma alma e habitamos em um corpo.

2.  Não existe ressurreição sem corpo nas Escrituras. Dn 12.2; Jo 5.28;At 24.15;I Co 15.35,42,53,54.

3. Na ressurreição ou no arrebatamento nosso corpo abatido será transformado em um corpo glorioso, conforme o de Jesus. Fl 3.20-21;  I Co 15:52 -  “Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados.” I Ts 4.15-17. 

4. Para o Salvo o novo corpo será imortal, incorruptível e de natureza celestial. E lá seremos como os anjos, na dimensão divina. Lc 20.34-36

5. O corpo ressurreto terá continuidade e identidade com o corpo atual,e portanto, reconhecível. Lc 16.19-31; Lc 20.37. O próprio Cristo, foi reconhecido pelos discípulos, depois de ressuscitado.

6. A morte será o último inimigo a ser aniquilado.( I Co 15.26). Há morte espiritual(separação temporária de Deus). Morte eterna (a condenação) e a morte física(separação da alma e espírito do corpo).

7. A carne e o sangue não herdarão o Reino de Deus( I Co 15.50). Como compreender Lc 24.36-43?

8. O corpo glorioso, espiritual, por natureza imaterial, não é informe e tem a capacidade de se materializar. E portanto, pode comer e beber, transpor obstáculos físicos,  etc... Lc 24.42-43; Gn 18.6-8; Jo 20.26

O Estado Intermediário.

1)  O que é o Estado Intermediário?
É um modo de existir entre a morte física e a ressurreição final do corpo sepultado, para a vida eterna ou para a perdição eterna. Portanto, uma habitação espiritual fixa, porém temporária. Descreve-se também como um estado de descanso(Ap 14.13), de espera e repouso(Ap 6.10,11), de serviço(Ap 7.15) e de santidade(Ap 7.14).

2)  O que é o Seol(Hb) ou Hades(Gr)?
O mundo dos mortos ou  mundo invisível, lugar para onde iam  justos como injustos  após a morte. Dividia-se em três partes distintas. A primeira é o lugar dos justos, inclusive, do Ant. Testamento, chamado “Seio de Abraão”(Lc 16.22). A Segunda parte é dos ímpios, denominado lugar de tormentos(Lc 16.23). A terceira parte servia de divisória entre o “Seio de Abraão” e o inferno, e era um grande abismo intransponível(Lc 16.26). O hades situa-se nas maiores profundezas da Terra(Ef 4.8-10;Pv 15.24;Ez 31.15-17;Mt 11.23).

3) Hoje onde se encontram as almas daqueles que perecem sem cristo?
Na ante-sala  do Lago de Fogo, ou seja, no Hades, lugar de tormentos. (Lc 16.23-24).

4) Hoje onde se encontram as almas daqueles que morreram na condição de Cristão?
No paraíso, conforme prometeu Jesus ao ladrão da cruz.
(Lc 23.43;Ef 4.8-10)

5) O que é o paraíso citado por Jesus e onde se localiza?
A palavra paraíso é de origem persa e significa uma espécie de jardim, usada simbolicamente quanto ao lugar dos justos mortos. Localiza-se no terceiro Céu, na imediata presença de Deus.
( II Co 12.1-4;5.8;Fl 1.23;I Pd 3.22).

 A ressurreição e suas etapas.

1ª Etapa - Jesus Cristo - as primícias dos que dormem ( I Co 15.20,23).  E aqueles que ressuscitaram, depois dele.(Mt 27.52-53).

2ª Etapa – (Primeira Ressurreição – Ap 20.5,7-15) No arrebatamento da Igreja, os mortos em cristo ressuscitarão primeiro, depois os que estiverem vivos, teremos os corpos  transformados em corpos gloriosos( I Ts 4.15-17, I Co 15.48-49). O fato da ressurreição será num instante, no abrir e fechar dos olhos ( I Co 15.52).

3ª Etapa – Final da Grande Tribulação, logo após o julgamento das nações (julgamento de pessoas vivas).  (Mt 25.31-46).

4ª Etapa – E após o milênio ( Ap 20. 5,7-15). A Segunda ressurreição. Todos aqueles que morreram sem Cristo. (Dn 12.2; Jo 5.28-29; Mt 25.46

Fontes consultadas:

O Plano Divino Através dos Séculos – Lawrence Olson
Conhecendo as Doutrinas da Bíblia – Myer Pearlman
Pequena Enciclopédia Bíblica – Orlando S.  Boyer
Dicionário Teológico – Claudionor C. Andrade

Queridos amigos e leitores do blog Feliz Páscoa!

 Samuel P M Borges

quinta-feira, 21 de março de 2013

O Evangelho Cristocêntrico


A diferença fundamental entre os fundadores de religiões, seitas e Jesus Cristo está na ênfase que dava a sua pessoa, enquanto que aqueles enfatizavam e enfatizam seus ensinamentos e dogmas.


Mentores de religiões não puderam e nem podem afirmar as confissões pessoais de Jesus Cristo. Ao que chamamos Evangelho Cristocêntrico.

 João 5.24 - Em verdade, em verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não entra em juízo, mas já passou da morte para a vida.

João 6.48 - Eu sou o pão da vida.

João 8.12 - Então Jesus tornou a falar-lhes, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue de modo algum andará em trevas, mas terá a luz da vida.

João 10.9-11 - Eu sou a porta; se alguém entrar a casa; o filho fica entrará e sairá, e achará pastagens. O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância. Eu sou o bom pastor; o bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas.

João 10.14 - Eu sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem.

João 10.30 - Eu e o Pai somos um.

I Pedro 1.16 - porquanto está escrito: Sedes santos, porque eu sou santo.

João 6.35 - Declarou-lhes Jesus. Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim, de modo algum terá fome, e quem crê em mim jamais terá sede.

João 8.58 - Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou.

João 11.25 - Declarou-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que morra, viverá;

João 14.17 - Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; eu não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.

João 15.1 - Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o viticultor.

João 15.5 - Eu sou a videira; vós sois as varas. Quem permanece em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.

Apocalipse 1.8 - Eu sou o Alfa e o Ômega, diz o Senhor Deus, aquele que é, e que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso.

Apocalipse 1.17 - Quando o vi, caí a seus pés como morto; e ele pôs sobre mim a sua destra, dizendo: Não temas; eu sou o primeiro e o último.

Apocalipse 1.18 - Eu sou o que vivo; fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre! e tenho as chaves da morte e do inferno.

Apocalipse 22.16 -  Eu, Jesus, enviei o meu anjo para vos testificar estas coisas a favor das igrejas. Eu sou a raiz e a geração de Davi, a resplandecente estrela da manhã.

Apocalipse 21.6 - Disse-me ainda: está cumprido: Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim. A quem tiver sede, de graça lhe darei a beber da fonte da água da vida.

POR ESTAS E MUITAS OUTRAS RAZÕES:

a)   Não posso me envergonhar do Evangelho

Rm 1.16 - Porque não me envergonho do evangelho, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego.

b)  Não posso deixar de pregar o Evangelho.

Mc 16.15-16 E disse-lhes: Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.

c)   Quem está em Cristo é nova criatura.
     
   II Corintíos 5.17 - Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é;as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.

d)  Ninguém pode por outro fundamento ao Evangelho.

I Corintios 3.11 - Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo.
e)   E, portanto, sem dúvidas, Ele é o caminho para Deus.

João 14.6 - Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.

Samuel P M Borges – Março 2013

sexta-feira, 15 de março de 2013

Um homem que se deixou ser instrumento de Deus


John Wesley, décimo terceiro filho do ministro anglicano Samuel e de Susana Wesley, nasceu a 17 de junho de 1703, em Epworh na Inglaterra.

Aos cinco anos de idade, Susana Wesley começou a alfabetizar o John, usando o livro dos Salmos apostila.
                                Casa de John Wesley - Londres

John estudou com sua mãe até os 11 anos. Entrou, então, para uma escola pública, onde ficou como aluno interno por seis anos. Aos 17 anos, foi para a Universidade de Oxford.

John Wesley viveu na Inglaterra século XVIII, uma sociedade conturbada pela Revolução Industrial, onde crescia muito o número de desempregados. A Inglaterra estava cheia de mendigos itinerantes, políticos corruptos, vícios e violência generalizada. O Cristianismo em todas as suas denominações, estava definhando. Ao invés de influenciar, o cristianismo estava sendo influenciado, de maneira alarmante, pela apatia religiosa e pela degeneração moral. Dentre aqueles que não se conformavam com esse estado paralisante da religião cristã, sobressaiu-se John Wesley. Primeiro, durante o tempo de estudante na Universidade de Oxford, depois como líder no meio do povo, vindo a ser o principal expoente do Movimento chamado Metodismo.

Igreja Metodista, como Igreja propriamente, organizou-se primeiro nos EUA e depois na Inglaterra, após sua morte.

17 de junho de 1703 – 02 de março de 1791, falece aos 87 anos em Londres.

Uma síntese de suas realizações com e pela Graça de Deus.

...pregou uma média de três sermões por dia durante cinquenta e quatro anos, num total de 44 mil vezes. Nisso ele viajou a cavalo e de carruagem mais de 322 mil quilômetros, ou cerca de 8 mil km por ano.

Sua obra publicada inclui um comentário da Bíblia em quatro volumes, um dicionário da língua inglesa, uma obra de cinco volume de filosofia natural, uma obra em quatro volumes da História da Igreja; histórias da Inglaterra e de Roma; gramática da línguas hebraica, latina, grega, francesa e inglesa.; três obras sobre medicina,seis volumes de música sacra; sete volumes de sermões e artigos polêmicos. Também editou uma coleção de cinquenta volumes, conhecido como “Biblioteca cristã”.

Dedicou-se à obra pastoral. Mais tarde, assumiu os cuidados de “todas as Igrejas”. Levantando-se as 4 horas da madrugada, trabalhava sem interrupção até as 22 horas.apenas com pequenos intervalos para comer e orar. No meio de todo este trabalho, declarou: “Tenho mais hora de retiro espiritual do que qualquer homem na Inglaterra”.
                                 "O mundo é minha paróquia"

Aos 83 anos de idade entristeceu-se ao descobrir que não poderia escrever mais do que 15 horas por dia para não prejudicar os olhos. E com a idade de 86 anos envergonhou-se ao admitir que não poderia pregar mais do que duas vezes por dia. No 86º ano de vida, pregou em quase todos os condados da Inglaterra e Gales, e com frequencia viajava de 50 a 80 km por dia.

E cada um de nós, cristãos contemporâneos, devemos nos perguntar: O que estou fazendo em prol do Reino de Deus?

quinta-feira, 7 de março de 2013

Bravo dia Internacional da Mulher!


Para alguns não faz sentido o Dia Internacional da Mulher. Até dizem, elas não precisam de se autoafirmar. Quando olhamos para História humana, vemos sentido sim diante de tanta ignorância em meio às civilizações passadas e até nos dias atuais.  O bom senso nos recomenda não deixar de comemorar as muitas lutas e conquistas do gênero feminino.

Nas Escrituras, desde o gênese, encontramos a relevância da mulher na constituição  e formação da raça humana. Ela é presenteada ao homem, como aquela que o complementaria pela companhia e companheirismo, a ajudadora  por excelência, vindo a ser mãe e a rainha do lar.

Nesses tempos pós modernos, assistimos a mulher em várias etapas,  conquistando espaços e ora perdendo-se algumas, na condução de sonhos realizados.  Assim temos: mulheres vitoriosas, no lugar que merecem estar, batalhadoras, realizadas como filha, mulher, esposa e mãe e na seara profissional. Temos também aquelas que botaram em terceiro, quarto plano, papéis que tanto as dignificam, ao ponto de tornarem-se vulgar.  

Alguém disse que no relacionamento ideal de um homem e a mulher, não comporta machismo nem feminismo, mas matrimonialismo. E acrescento, muito menos individualismo egocêntrico exacerbado. 

Então, o Blog do Samuca, não poderia passar em branco na homenagem a todas as mulheres de toda cor, raça, credo, lugares, livres e as  aprisionadas em alguma forma de opressão social e espiritual. A História Geral tem mostrado como valeu, o quanto vale a mulher afirmar, firmar seus valores, enquanto protagonista de sua própria emancipação no tecido social.

Deus acima de tudo e de todos. Por aqui, sou fruto de duas grandes mulheres em minha vida, minha mãe e minha esposa. Muito obrigado!

Samuel P M Borges – março de 2013




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...